George Clooney – Kentucky

SISters!

Hoje vamos falar sobre um grande nome das telonas, que já ganhou um Nobel da Paz e já foi preso ao tentar fazer a diferença e ajudar os outros:

George Clooney

Nascido George Timothy Clooney, em 6 de maio de 1961, na cidade de Lexington, Kentucky, ele vem de uma família bem conhecida na mídia: seu pai, Nick Clooney, era um grande âncora dos noticiários e sua tia, Rosemary Clooney, era uma grande cantora e atriz.

Confesso que minha família é de italianos, apaixonados por musicais, sapateado e jazz, e cresci ouvindo a Rosemary Clooney. Por isso, aqui vai uma dica muito especial da SISter: escutem “Anything Goes” e “Blues In The Night” (a qualidade no Spotify está melhor !).

Rosemary Clooney – 1928-2002

Apesar de serem celebridades, a família Clooney vivia uma vida bem modesta na cidade de Augusta, Kentucky, e eram muito unidos.

Pequeno George Clooney com seu pai, Nick, sua irmã, Ada, e sua mãe, Nina

Ainda no ensino médio, George desenvolveu um tipo de paralisia facial chamada Paralisia de Bell. Por sorte, esse tipo de paralisia tem tratamento e logo ele se recuperou. Foi um baita susto passageiro em sua adolescência…

George Clooney tratou a Paralisia de Bell. Conheça os sintomas e saiba mais sobre o tratamento desse tipo de paralisia aqui

Durante o colégio, George era mais o tipo de aluno atleta do que nerd (e, mesmo assim, tirava notas altíssimas). Seu amor pelos esportes, especialmente o baseball, era tão grande que ele chegou a tentar entrar para o Cincinnati Reds, um time de baseball de Cincinnati-Ohio, mas nunca conseguiu…melhor para nós, certo ? Se ele fosse jogador, ele nunca se tornaria o meu amado Jack Taylor (de “Um Dia Especial”)…

George como jogador de baseball ou como galã mundial ? Oh dúvida cruel…

Como não se tornou jogador de baseball, ele foi fazer faculdade de jornalismo, mas era constantemente comparado ao seu pai, o que o levou a achar que não tinha o que era necessário para se tornar um bom jornalista e o fez largar a faculdade.

George Clooney cursava a Northern Kentucky University

Foi trabalhar como vendedor e, posteriormente, foi para uma colheita de tabaco. Essa foi mais uma fase complicada e passageira em sua vida.

Foi então que seu primo, Miguel Ferrer, filho de Rosemary Clooney, o convidou para atuar como figurante em um filme que estava fazendo com o pai, o premiado Jose Ferrer. No final, George até conseguiu algumas falas no filme, que nunca foi lançado, mas a experiência era o que faltava para despertar aquele amor pelo entretenimento que estava (em coma) adormecido dentro de George.

George e seu primo, Miguel Ferrer, o chefão de NCIS: Los Angeles, o Vice Presidente em Homem de Ferro 3, ator super querido de muitas séries e filmes e que nos deixou recentemente

O mesmo primo, Miguel, incentivou George a se mudar para Los Angeles, onde ele chegou até a ser motorista da tia enquanto buscava papéis que o valorizassem. Ele ficou de meados de 1985 até 1994 com pequenos papéis em séries e participações quase que imperceptíveis em filmes antes de se tornar o grande astro que todas nós conhecemos hoje.

Foi no ano de 1994 que Clooney foi escalado para interpretar o Dr. Doug Ross, um pediatra garanhão, no drama médico ER, papel que lhe garantiu o tão merecido reconhecimento e lhe rendeu outros grandes trabalhos como “Um Dia Especial” e “Batman & Robin”.

Clooney no papel de Dr. Doug Ross, na série ER

Em 2001, George estrelou o tão famoso “Onze Homens e Um Segredo”, no papel de Danny Ocean, originalmente interpretado pelo grande Frank Sinatra na versão de 1960. O filme juntou tantos nomes famosos, como Brad Pitt, Julia Roberts, Matt Damon e Andy Garcia, e o roteiro ficou tão bem adaptado, que o sucesso foi inevitável e Clooney passou a ser visto como um Hollywood A-List (um artista VIP de Hollywood). O filme fez muito sucesso e teve duas sequências (“Doze Homens e Outro Segredo” e “Treze Homens e Um Novo Segredo”).

A amizade dos galãs de “Onze Homens e Um Segredo”

Novamente ao lado de Matt Damon, em 2005, George estrelou e produziu o filme “Syriana – A Indústria do Petróleo”, sendo que ele teve que engordar quase 14kg para interpretar o papel de Bob Barnes, um agente do governo (inspirado em Robert Baer), e foi gravemente ferido durante a filmagem de uma cena: ele danificou a membrana ao redor de sua espinha ! A lesão causava vazamento de líquido espinhal pelo seu nariz (eca, eu sei ! Desculpa, mas eu quero mostrar que ser ator não é necessariamente fácil…) e ele sentia dores fortíssimas nas costas. Após o término das filmagens, ele teve que ser submetido a duas cirurgias para resolver o problema. Mas nada disso foi em vão, pois ele ganhou o Oscar de Melhor Ator Coadjuvante pelo papel.

Syriana faz uma crítica à situação geopolítica envolvendo governos e empresas que exploram e comercializam petróleo

Mas, SISter, por que você resolveu falar do George Clooney ? A coluna não é para falar de viagem e de pessoas que tiveram problemas passageiros e/ou foram anjos passageiros na vida de alguém ?

SIM !!! Todos conhecem o lado “estrela de Hollywood” de George Clooney, por isso eu vou mostrar o lado humanitário dele:

Após os ataques de 11 de setembro, George organizou uma campanha que contou com a participação de vários artistas de Hollywood e arrecadou mais de US$ 129 milhões para a United Way, uma organização que visa melhorar a qualidade de vida e dar condições para as comunidades ao redor do mundo. Pouco tempo depois, ele doou US$ 1 milhão para o United Way Huricane Katrina Response Found, para ajudar às vítimas do furacão Katrina.

Sabia que a United Way tem uma divisão no Brasil ? A United Way Brasil.

Em 2006, George Clooney decidiu que poderia usar seu status de “estrela de Hollywood” para ajudar o próximo, se juntou a algumas pessoas, incluindo seu pai, e foi para Darfur, que fica no Sudão e é o local do conflito armado entre os janjawid (milicianos) e os povos não árabes da região.

Munidos apenas de pequenas câmeras de vídeo, eles começaram a registrar como a região tem sido devastada e o quanto as comunidades internacionais sofrem para montar campos de refugiados nas proximidades, o que dificulta o envio de ajuda.

A experiência de George e Nick Clooney em Darfur, Sudão

Minha mãe quase infarta de medo quando vê notícia de tiroteio na internet. Imagina se ela iria comigo para Darfur…

De volta ao solo americano, Clooney participou de um comício contra o genocídio de Darfur, em Washington, D.C., e, posteriormente, falou em um encontro especial do Conselho de Segurança da ONU.

Nick Clooney e George no comício Save Darfur (esq. e meio) e George no Conselho de Segurança da ONU (dir.)

Em seguida, ele se uniu a outras celebridades, como Brad Pitt, Matt Damon e Don Cheadle e criou uma organização sem fins lucrativos chamada Not On Our Watch (tradução livre para “não sob nossa vigilância”). Em 2007, Clooney e Cheadle receberam o Prêmio Nobel da Paz “Peace Summer Award”, como reconhecimento por seus trabalhos em Darfur, e ele foi indicado como mensageiro da paz da ONU.

George Clooney e Don Cheadle recebem Prêmio Nobel da Paz

Sabia que nosso querido Clooney já foi preso?!

Em 2012, George foi preso durante um protesto em defesa de Darfur na Embaixada do Sudão, em Washington.

Congressistas, ativistas de direitos humanos e grandes líderes também foram presos, além do papai Clooney que, com o companheirismo de sempre, também estava defendendo a causa ao lado do filho.

George e Nick Clooney foram presos em 16 de março de 2012

Em 2014 George Clooney se casou com a linda Amal Alamuddin, libano-britânica, defensora dos direitos humanos e advogada de grandes nomes, como Julian Assange, criador do Wikileaks.

George não podia ter encontrado uma esposa melhor, pois Amal é inteligente, elegante, linda, uma ótima profissional e também luta pelas causas humanitárias em que acredita. Em 2017 eles tiveram gêmeos: Ella e Alexander Clooney.

O ato mais recente de Clooney foi a doação de US$ 500 mil para a March For Our Lives, após o tiroteio no Marjory Stoneman Douglas High School em fevereiro, incentivando outros artistas, como Oprah e Steven Spielberg, a doarem para a causa.

Para aproveitar mais ainda nosso visto para os Estados Unidos, resolvemos fazer nossa última escala em solo americano. Preparados ?

Atenção senhores passageiros. Última chamada para o Voo SIS007, com destino à Lexington. Embarque imediato no portão SIS de Passagem.

LEXINGTON

Segunda maior cidade do estado do Kentucky, Lexington é conhecida como a cidade do cavalo e lidera a produção nacional de fumo, soja, milho e trigo nos Estados Unidos.

Apesar de ser considerada uma “cidade da roça” (eu e meu sotaque caipira amamos…), as fazendas se lá são super modernas e tecnológicas, além de quase tudo na cidade ser equipado com painéis de energia solar.

Um ponto importante na cidade é que lá fica a segunda maior malha ferroviária do Kentucky, ou seja, você pode ir de metrô para qualquer lugar !!

Foi lá que fizeram o Alltech FEI World Equestrian Games de 2010 (Mundial de Equitação), não só por ser uma cidade com mais de 400 haras, mas também por ser onde fica o Kentucky Horse Park, um haras e parque temático de cavalos.

Se você gosta de andar de bicicleta com a família, saiba que lá têm muita ciclo-faixa e ciclo-via, além do Bluegrass Cycling Club, uma organização sem fins lucrativos, que visa incentivar as pessoas a andarem mais de bicicleta, seja por uma vida mais saudável, por recreação ou como meio de transporte.

Fato que a bicicleta é um ótimo jeito de conhecer pessoas e socializar…Ah seu eu soubesse andar de bike

E se você não gosta de meter o pé na jaca quando viaja, pode fica tranquila !! Lá tem o Bluegrass Farmers’ Market (Lexington Farmers’ Market), que é tipo uma feira onde você sempre encontrará produtos fresquinhos, comida local e artesanato bem típico da região.

A cidade valoriza tanto o contato com a natureza, que criaram o programa “Keep Lexington Beautiful” (mantenha Lexington bonita) e o “Live Green Lexington” (viva verde Lexington), que visam a limpeza da cidade, estimulando as pessoas a recolherem o lixo que encontrarem nas ruas, e a plantação de jardins (sim, eles amam muito uma paisagem bem verdinha e com muita natureza).

Lexington é conhecida como Bluegrass (grama azul), pois é uma cidade muito cheia de grama, árvores e natureza no geral, e a cor oficial da cidade é azul!

Resultado: recentemente, eles mudaram a bandeira e uniram natureza (cavalo, para ser mais específica) e azul !

Agora, se você gosta de viajar e aproveitar toda a gastronomia, prepare os talheres:

O Restaurante Stella’s Kentucky Deli serve a melhor comida diretamente da fazenda, mas não com aquele ar de comida “natureba”. Eles usam ingredientes fresquinhos, mas fazem frituras, hambúrgueres, sanduíches e muito mais. Um dos grandes pratos de lá é o Fried Green Tomato BLT (tomate verde frito).

Se você procura um lugar para um jantar romântico, não deixe de ir ao Lockbox, um restaurante de luxo, localizado dentro do premiado hotel boutique e museu The 21c Museum Hotel (Hotel Museu Século XXI). Mas, se você for vegetariana, fique tranquila: o restaurante Alfalfa é o melhor vegetariano da região. Vegetarianos sofrem para comer em restaurantes “carnívoros”, mas quem não dispensa uma carninha não sofrerá no local, pois eles possuem uma boa quantidade de opções sazonais de carnes especiais.

Se você não quiser comer, mas for como eu e estiver sempre disposta a tomar aquele cafezinho básico, não deixe de ir ao A Cup of Common Wealth, que além dos cafés maravilhosos, possui o programa “Pay It Foward” (tipo uma “Corrente do Bem”), em que você patrocina uma xícara de café para uma pessoa qualquer, que poderá retirá-la a qualquer momento.

A ideia é que você possa pagar um café para qualquer um, para uma pessoa específica ou impor condições para que alguém o retire (ex: fazer com que a pessoa cante para ter direito ao café).

Do jeito que eu sou viciada, tenho certeza que eu pagaria cada mico pra ganhar café…

Terminando o roteiro gastronômico, se você preferir um restaurante com aquele clima de natureza, mas em ambiente fechado, não deixe de ir ao Dudley’s on Short e peça para ficar no pátio.

Você ficará num lugar agradável, seguro e rodeado de jardins, além de garantir uma alimentação bem saudável, caseira e diferenciada.

Ufa…falei tanto de restaurantes que fiquei com fome !!! Vou ali no KFC (Kentucky Fried Chicken) e volto semana que vem.

#PayMyTherapy

#PayMyCaipirinha

cropped-cropped-25035262_1679610975424806_2094327659_o

#PayMyTravel

Um comentário sobre “George Clooney – Kentucky

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s